PROCESSO JUDICIAL: QUAL É O PAPEL DO MEU ADVOGADO NA CESSÃO?

Você é um reclamante de um processo judicial trabalhista ou cível, mas já não quer mais lidar com tanta burocracia, sem falar na espera. Então, opta pela cessão do crédito a que faz jus, seja ele um crédito contra uma pessoa, uma empresa ou um precatório, devido pela Administração Pública, dando direito a um terceiro para ser o novo titular dessa dívida com o devedor envolvido na ação.

Nada de errado com isso, mas o seu advogado é fundamental em toda essa transação, afinal ele acompanha o processo judicial com você desde o início. Continue a leitura e entenda o papel do seu advogado na cessão de crédito.

 

Quem é o seu advogado no processo trabalhista ou cível

Foi ele quem passou todas as orientações jurídicas, que fez você compreender o processo de recebimento e tornou um tema muito complexo, acessível ao seu entendimento. Ele é a pessoa que tem o conhecimento específico sobre a área trabalhista ou cível e as leis que regem os temas. Então, passou a você a segurança necessária para levar adiante o processo judicial.

É preciso entender que em um processo judicial é o seu advogado quem vai fazer quase tudo que você precisa: a denúncia, as citações e até a desistência, caso você queira isso. Assim, a relação entre vocês, deve ser de máxima confiança.

O papel do seu advogado é aconselhar você durante todo o processo judicial, contudo a decisão final é sempre sua. O que vai fazer com o seu benefício é uma escolha sua, mesmo quando deseja uma cessão de crédito.

 

Mas e quanto aos honorários no pagamento dos processos judiciais?

É uma questão que exige cuidado, pois os honorários contratuais são tratados entre cliente e advogado e referem-se ao valor que ambos  combinaram no início do processo. Isso quer dizer que, ao fim do seu processo judicial, você vai precisar fazer o pagamento ao advogado do valor combinado.

Normalmente, o advogado decide como forma de cobrança dos honorários uma parte do valor total que será recebido na conclusão do seu processo. Dessa maneira, o advogado informa no próprio processo qual parte cabe a ele da condenação final decidida pelo juiz. É essa comunicação oficial ao juízo que garante o direito do advogado ao valor devido.

Caso você decida, com a ajuda do seu advogado, pela cessão do seu processo judicial ao longo dos anos de espera de recebimento, o combinado entre você e o seu advogado também será avaliado para que ele receba, na cessão, o valor proporcional ao que deveria receber como honorários profissionais. Desta forma, tanto você quanto ele poderão antecipar o recebimento do valor que aguardam definição na justiça.

 

É segura a cessão de crédito?

A cessão de créditos judiciais, como precatórios, é autorizada pela Constituição Federal, podendo o crédito ser comprado por terceiros de maneira integral ou parcial. A cessão de crédito é algo muito comum e explicamos o conceito e aplicações neste link.

Apesar de legítima e legal, a cessão deve ser realizada apenas com terceiros que tenham expertise no tipo de crédito que você deseja vender e atuem com transparência. Por isso, você precisa de uma empresa especializada como a Bomtrato, que consiga fazer a antecipação do benefício de uma maneira segura. Assim, você tem a oportunidade de receber rapidamente um valor fixado por especialistas de acordo com o seu caso. É possível, inclusive, que seu advogado queira fazer parte da cessão de crédito e vender seus honorários também.

A vantagem disso tudo é não esperar um processo judicial correr por um tempo indeterminado, ou ainda nem receber a quantia no momento da vida que mais precisa. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estima que o total da dívida de processos trabalhistas e precatórios supere o valor de R$ 300 bilhões de reais. Uma quantia bem alta, não é mesmo? Já a Ordem dos Advogados do Brasil, informa que, só em precatórios, mais de 1 milhão de credores esperam para receber seus pagamentos.

Para se ter uma ideia, existem pessoas aguardando desde os anos 80. Então avalie bem. Ao optar pela cessão de crédito, você pode inclusive pedir ao seu advogado para acompanhar sua negociação e nada impede que ele queira fazer parte, incluindo a venda dos honorários na transação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *