EMPRÉSTIMO X VENDA DE PROCESSOS JUDICIAIS: QUAL FAZER?

Todos dependemos da pandemia para traçar metas ambiciosas no futuro. Com o controle da crise sanitária, a crise financeira pode entrar nos trilhos e ser apenas uma lembrança desagradável, muito em breve. O medo ou a realidade do desemprego e das dívidas são temas que tiram o sono de muitos brasileiros. Para arcar com os gastos de uma vida minimamente satisfatória, muitos se questionam: “um empréstimo é a melhor saída?”

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), de dezembro de 2020, 66% dos consumidores brasileiros estão endividados, um aumento de 0,3 ponto percentual se comparado a novembro. Por isso, hoje, muitas pessoas buscam soluções para quitar dívidas.

Se existe um processo judicial em andamento, a antecipação de recebíveis, pode ser uma alternativa ao empréstimo e um novo caminho para não ser engolido pela crise e ainda ter um dinheiro para se planejar neste novo ano.

Antes de decidir entre um e outro. É preciso entender a diferença entre empréstimo e a venda de um processo judicial, e, claro, as vantagens de quem ganha essa disputa!

Empréstimo vale a pena?

O empréstimo é uma alternativa para que você possa respirar “aliviado” diante de uma crise, de uma grande dívida, para comprar um item valioso, realizar um plano ou sonho. A verdade é que uma grande quantidade de dinheiro pode beneficiar qualquer pessoa.

Parece sempre uma boa ideia realizar um empréstimo, mas é preciso ter certeza se vale a pena. Quando uma instituição financeira oferece um empréstimo, ela faz uma avaliação do risco de não receber o que emprestou. O dinheiro que é ofertado não é de fato da instituição, mas sim de seus clientes e investidores, por isso, ele precisa ser devolvido para girar a roda da fortuna. 

Uma possível garantia de recebimento do banco são as altíssimas taxas de juros. A chance de você se atrapalhar com os juros e não ter condições de arcar com a dívida é grande. Outro perigo está nas cláusulas que ninguém lê e que podem conter medidas de garantia que representam altíssimo risco para quem está pegando dinheiro emprestado. A única certeza é que, no melhor dos cenários, você vai pagar um valor muito maior do que recebeu

Venda de processo judicial

Na antecipação de recebíveis ou cessão de crédito judicial, você fica livre de riscos. O processo trabalhista ou de precatório pelo qual há anos você batalha no Tribunal, é cedido a uma empresa que paga por ele e você recebe o dinheiro à vista. Sem juros, sem contrato de letras miúdas e se livrando do pesadelo da espera.

Nós da Bomtrato, por exemplo, compramos o seu crédito judicial, aguardamos todo o processo e lidamos com a burocracia enquanto você pode aproveitar o dinheiro que recebeu ao nos vender seu processo. Isso mesmo, a negociação garante ao reclamante que ele terá o dinheiro a que tem direito antes do processo ser finalizado e ao advogado o recebimento de todos os seus horários antecipadamente também.

De modo geral, a venda de um processo judicial é mais segura para todos os envolvidos na ação: advogado e reclamante.

Este é um recurso que não precisa ser só usado em casos emergenciais e não tira dinheiro do seu bolso de modo algum. Caso você tenha um processo trabalhista ou precatório, conheça nossa cessão de crédito judicial e descubra como ela funciona. Aqui você tem uma alternativa, faça um Bomtrato.

2 comentários em “EMPRÉSTIMO X VENDA DE PROCESSOS JUDICIAIS: QUAL FAZER?”

  1. Valdelito cordeiro leite

    Bom dia queria ver como funciona esse tipo de negócios tenho um processo na justiça a anos como faço para entrar em contato com vocês meu zap (61) 998325129 queria que vocês entra em entrevista contato comigo

  2. Renan Belan da Costa

    Possuo um precatório em face do Estado do Rio de Janeiro para receber e alguns outros processos como advogado. Como vocês operam? Grato!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *