Dicas para você evitar fraudes financeiras na pandemia

No início do ano, tivemos notícia do maior caso de vazamento de dados no Brasil. Informações de 223 milhões de brasileiros foram expostas, como CPF, nome, data de nascimento, sexo, número de telefone e até fotos de seus rostos! Além disso, na relação consta uma tabela com dados de veículos e uma lista com CNPJs. De certo, é assustador. Ainda mais se levarmos em conta que o número de pessoas que tiveram seus dados expostos é maior que nossa população (211 milhões), portanto, inclui dados de falecidos. Tudo isso, é um prato cheio para fraudes financeiras.

Aposto que bateu a curiosidade para saber se os seus dados estão nessa leva. Mas não existe um site “oficial” que nos permita conferir. É preciso muito cuidado, pois, isso envolve sua segurança online e todos esses dados são vendidos por criminosos na deep web.

A deep web é como um servidor inalcançável na internet, pois para o acesso é necessário um software, configurações e autorizações específicas.

Portanto, os dados vazados não são tão simples de se encontrar. Mas não se engane: essas informações estão rodando a rede e são usadas para aplicação de fraudes financeiras e outros tipos de golpes.

Os golpes online: fuja das fraudes financeiras!

Com tantos dados disponíveis, esses criminosos, ilegalmente, conseguem abrir contas em bancos no nome de outra pessoa, realizar saques do FGTS, solicitar cartões de crédito e até se inscrever em benefícios do governo. As modalidades de fraudes financeiras são muitas.

Durante a pandemia, são inúmeros os casos de pessoas que sofreram fraudes financeiras e não puderam recorrer ao programa de auxílio emergencial. Mais simples ainda seria alguém te ligar, se aproveitando da situação econômica e sanitária do país, e se passar por uma instituição bancária para tentar arrancar dinheiro seu, por vários pretextos.

Já explicamos aqui sobre os golpes de precatórios. Bandidos entram em contato com os credores e pedem taxas para liberação da indenização. Não caia nessa!

Como se proteger das fraudes financeiras

Muita atenção com ligações, e-mails, SMS de cobrança, avisos de atualização de dados e pagamento de boletos! Nunca clique em links suspeitos, pois esse pessoal é craque em fraudes financeiras e pode criar maneiras muito convincentes de falar com você e pegar o seu dinheiro.

O ideal é sempre confirmar direitinho com a empresa ou a instituição se eles fazem esse tipo de contato. Na dúvida, entre em contato com o seu banco e verifique se existe algum comunicado sobre isso. Ir até o chat, conversar pelo telefone ou ler as perguntas frequentes é um caminho fácil para se informar também.

Não acredite com facilidade em nenhum tipo de cobrança adicional!

Alguns golpes perigosos

Olha só, mensagem no WhatsApp pedindo confirmação de dados, com link estranho é quase certo de ser um dos tipos de fraudes financeiras. Pode ser alguém tentando “roubar” o seu número para se passar por você e pedir dinheiro aos seus conhecidos, parentes e amigos.

Aprenda a ativar a autenticação em duas etapas no seu WhatsApp e fique mais seguro. Outras ferramentas também têm esse recurso de segurança, como o Google, redes sociais, corretoras e bancos. Não perca tempo!

Faça um pente fino nas suas senhas, atualize todas para um código forte. Utilize letras maiúsculas e minúsculas, além de sempre cadastrar no mínimo 8 caracteres. Isso ajuda a não cair em fraudes financeiras.

A cada crise, os caras enxergam uma oportunidade para roubar. Então, mesmo em um momento difícil como a pandemia, precisamos estar com os olhos bem abertos. Eles podem, inclusive, se passar por pesquisadores da Covid-19. Sabendo alguns poucos dados seus, tem a capacidade de ganhar sua confiança e tirar informações preciosas para aplicar outras fraudes financeiras.

Sempre que estiver em um site, verifique se existem políticas de proteção de dados. Aqui, na Bomtrato, nós nos preocupamos e disponibilizamos nossa política de segurança e proteção dos seus dados. Leia aqui.

O acontecerá com os dados vazados?

Não é possível saber com certeza o que será feito com os dados vazados, pois não se sabe de onde vieram. Muito menos confirmar se o seu nome está na relação. Mas é muito provável que sim, dada a quantidade de CPFs expostos ser maior que a população brasileira.

Também não é possível dizer com certeza que as informações sejam todas verdadeiras e serão usadas em fraudes financeiras. Segundo a Altieres Rohr, uma empresa especialista em segurança digital que teve acesso aos artigos que foram disponibilizados ao público, sim, muitas delas são dados de brasileiros e verdadeiros.

Por via das dúvidas, siga as dicas mencionadas acima e esteja atento à sua segurança digital. Evitar fraudes financeiras é possível, com cautela e perspicácia.

Agora ficou mais fácil de você se proteger, não é mesmo? Aproveite para acompanhar mais conteúdos como esse também em nosso Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *